amor comportamento

Você não precisa de um namorado (a)

18:34Ghiovana Christini




Você é tão livre quanto acha que é? E se a pessoa que está ao seu lado te deixasse, você continuaria sendo tão feliz quanto você pensa ser? E se você tivesse que ficar solteiro (a) pra sempre, você ainda assim acharia tanta graça em viver?


Hipócritas que somos. Sentimos pena de pessoas sentenciadas a passar anos dentro de uma prisão, mas, muitas vezes, cegos, carregamos uma prisão perpetuamente dentro de nós, sem nem perceber.


Eu perdi a conta de quantas meninas já aconselhei que não achavam mais graça na vida pelo término de um namoro. Uma, me disse que se mataria.  Outras, disseram que "jamais amariam alguém de novo". Se não bastassem essas, coleciono ainda mais casos que acompanhei de pessoas presas dentro de um relacionamento infeliz, por se encontrarem algemadas à ideia de que precisavam daquela pessoa. Ou, não especificamente daquela, mas, de alguém, para serem felizes.

Eu não falo meramente como uma terceira pessoa julgando um problema alheio. Já vivi isso. E, que atire a primeira pedra o sortudo(a) que não foi picado pelo bicho da dependência emocional em tempos onde somos constantemente bombardeados por conceitos deturpados de felicidade.

Afinal, no nosso mundo de princípios invertidos, estar sozinho é que está errado. "Deus me livre ser rotulado de encalhado". "Longe de mim a reputação de 'ficou pra titia'". Rotulamos como problema algo perfeitamente normal, enquanto tratamos como normal algo extremamente doentio.

Hoje, eu te trago a tona algo libertador:

Você não precisa de um namorado (a).

Eu não digo que você não deva ter um (a). Ou mesmo, querer. Mas, eu gostaria de aniquilar a palavra "precisar" do seu vocabulário no que diz respeito a esse assunto. E mais: no que diz respeito à sua felicidade. E, para isso, precisamos entender algumas verdades:

1) O problema é mais embaixo

Antes de qualquer coisa, é importante construirmos a consciência de que tudo o que vemos na realidade concreta, tem uma raiz abstrata que muitas vezes ignoramos.

Sua dependência é só um sintoma de uma doença muito mais profunda. Sua necessidade só expressa algo óbvio, mas talvez, esquecido: A falta de algo.

Falta de amor familiar. Rejeição. Medo da solidão. Abandono. Uma autoestima destruída por comparações fúteis. E, a mais relevante de todas as faltas: A falta da plenitude de um amor que só Deus pode te oferecer.

No vazio da ausência de um relacionamento com o Pai, buscamos suprimento em pessoas pra nos completar. 
Nos vãos de uma identidade não definida e revelada, buscamos afirmação para fortalecer o nosso ego em relacionamentos, seguidores, bajuladores e elogios baratos que venham nos alimentar. 
Nas lacunas de um coração que não entendeu o quanto já é amado, mora a necessidade e desespero em aceitar toda migalha de amor e atenção que encontrar.

Você precisa cortar o mal pela raiz, galhos que crescem de novo não bastam. É preciso ser curado da doença, e não meramente dos sintomas.

Deus está pronto pra derramar sobre você seu amor transbordante e inesgotável até que toda lacuna do seu coração seja preenchida. Até que todo medo seja lançado fora. Até que todo relacionamento conturbado do seu passado que tenha o trazido a esta condição, seja apagado e substituído pelo relacionamento perfeito entre o Pai e aqueles a quem ele convida para serem seus filhos.
Pode parecer clichê, mas, essa é a maior verdade que existe: ninguém te fará se sentir mais amado do que o próprio criador do amor. Uma vez que experimentar do verdadeiro, você nunca mais sentirá a necessidade ou desejo de mendigar qualquer outro.

2) Você precisa se amar

Pare de se comparar. Pare de medir o quão bom você é por parâmetros alheios. Você é único. Você tem uma história inédita. Só porque fulano tem 23 anos e já comanda 3 empresas e viaja pra Paris e você tem 27 e ainda nem sabe o que fazer quando sair da faculdade ou o que vai comer no almoço de amanhã, não significa que você é um fracassado. Há um tempo para cada um. Há um propósito para cada um. O meu sucesso pode ser algo no qual você nunca seria feliz. E vice-versa.

Moça, só porque uma mulher do Instagram é bonita, não quer dizer que você também não seja linda pra dedéu. A beleza dela não anula a sua. Você não precisa ser bonita como ela, você é bonita exatamente por ser única como você é. E você com certeza vai encontrar alguém pra quem a sua beleza - na soma da exterior e interior - seja superior e incomparável a qualquer outra.

Moço, só porque seu amigo dirige um carro melhor que o seu e ganha melhor, ou porque você não é bombado ou tem uma aparência aquém do Brad Pitt, não significa que você não seja um homem incrível pra caramba e  que alguém não vá te considerar um porque você acha que deveria ser mais parecido com o fulano.

Você precisa encontrar preciosidade em ser exatamente aquilo que é. E esforçar-se em ser a cada dia melhor, não como um fardo ou obrigação, mas como um prazer e constante amadurecimento. Essa é a graça da vida!


3) Sua infância foi uma mentira

Essa história de metade da laranja é pura mitologia grega. Esse lance de cara metade que só se completa quando encontra a outra é a fórmula de riqueza da Disney, mas não a sua fórmula de felicidade.
Eu é que não quero alguém pela metade. Você também não deveria querer. Nem ser. Eu quero ser inteira. Eu quero ser a laranjeira toda. E só aceito do meu lado alguém que também seja.

O amor vem pra complementar, pra transbordar, pra melhorar o que já era bom. Não é privilégio de quem faz do outro requisito pra sobreviver, pra ser feliz, pra sorrir pra vida. Que coisa chata esse senso comum que insiste em se fingir de regra e verdade.

A felicidade não se condiciona a ter, e isso eu tenho certeza que você já está cansado de ouvir. Mas, algo que talvez lhe seja novo é: essa frase não se resume a ter coisas, mas, também, pessoas.

Posso te contar um segredo? O amor mais punk e legal da sua vida só vai chegar pra você quando você já for feliz.
Porque aí, você vai poder transbordar pra outro. E, se der a sorte, ser atingido pela plenitude transbordante dele também. E se, por acaso, ele(a) for embora, você não vai ficar com metade de nada, vai continuar com a sua medida cheia, porque antes, ela já era assim! Quer ver só um exemplo?
Casais que se casam em comunhão parcial de bens, em caso de separação, não precisam dividir o que já tinham antes. Se você for inteiro antes de estar com alguém, quando não estiver, vai continuar sendo inteiro! Mas, se tudo que construiu foi baseado em estar apoiado junto com alguém, se precisar ficar sozinho, você só terá metades!

Seu namoro terminou? Chora um dia, dois. Uma semana se for preciso. Sofra seu "luto". Respeite seu tempo de se abrir de novo. Mas, depois? Vida que segue, my friend! Arruma esse cabelo. Ou pinta ele se quiser. Corta. Coloca uma roupa legal. Ouve sua música favorita. Ou canta ela. Saia com seus (as) amigos (a). Faça novos. Construa casas pra desabrigados. Viaje o mundo. Comece uma faculdade. Saia e tente outra se não gostar. Escreva um livro. Um filme. Uma peça de teatro. Tire fotos pra mostrar pros seus filhos. Empreenda seus sonhos mais loucos. Viva!
Seu(a) próximo(a) namorado (a) vai esbarrar com você nesse trajeto e, o mais legal disso tudo é que, em meio a tanta felicidade e ocupação, você só vai percebê-lo(a) não por estar procurando, mas porque vai ser muito especial!

Está infeliz em um namoro, mas com medo de terminar e ficar sozinho pra sempre ou nunca mais amar ninguém? Tenho uma verdade chocante pra você, que deveria ser ensinada junto com a do "Papai Noel não existe": No mundo existem bilhares de pessoas incrivelmente legais esperando para serem conhecidas! Histórias de amor fantásticas para serem construídas. Gente que tá em busca de alguém exatamente como você, com quem você vai ser feliz pra dedéu!
Há sempre algo novo e melhor pra quem ousa acreditar que o merece, do que pra quem acha que só merece o pouco farelo que já tem.

"Independência ou morte" não deveria ser relembrado só pra celebrar a pátria. Aprenda a ser feliz independentemente de qualquer pessoa, ou morra aprisionado a ilusão de que você é uma mera metade de laranja. Isso seria, de fato, uma pena perpétua.

De quem, somando hoje, tem uma história de amor com 2 laranjas inteiras, só porque um dia entendeu que não era a droga de uma mera metade, 
Ghiovana Christini

Talvez Você Goste Também

0 comentários

Posts Populares

Contato