artigo decartaparacarta

Síndrome de Xuxa

14:15Ghiovana Christini



Eu nasci em uma geração que cresceu bombardeada pelos filmes e músicas da Xuxa. Aliás, uma das tantas. 
O “só para baixinhos” fez parte da minha playlist musical por toda a minha infância. E, apesar de todas as polêmicas de boatos da rainha dos baixinhos ter um pacto com o “cara lá de baixo”, esse nem é o problema, nem é sobre o que eu quero abordar. O que eu quero, é falar sobre “O Cara lá de cima”, e desmentir o que a gente cantou inocentemente por tanto tempo:  


Não, nem tudo que eu quiser, o "Cara lá de cima" vai me dar. 
(E, quer saber? Essa é uma das maiores provas de amor que eu posso receber Dele). 

O cristianismo tem sido deturpado, dia após dia; e, se tem uma coisa que tem sido extremamente utilizada para isso, é o que você já deve ter conhecido como "teologia da prosperidade". 
Um discurso aderido pelos tantos falsos profetas que querem multiplicar o número de pessoas em suas igrejas atraindo-as pelos seus interesses pessoais. 
"Deus vai te dar isso! Deus vai fazer aquilo!" ... Lorota. Não porque Ele não possa dar ou fazer, mas porque, o verdadeiro evangelho não se trata do que Deus pode dar ou fazer a você, mas sim, de tudo que Ele já fez, e tudo que Ele já deu. E é isso que deve atrair as pessoas.

Pregar o que Deus pode dar antes de fazer os ouvintes entenderem o que Ele já os deu, só desperta o interesse de aproximação de um gênio da lâmpada pronto para suprir desejos: O procuram pelo que Ele faz, mas, se entendessem o que Ele já fez, O procurariam por quem Ele é. 

Deus não é um gênio da lâmpada. Ele não existe para realizar nossas ambições. Ele pode e, às vezes, até faz. Mas muito provavelmente, muito do que você quer, Ele não vai te dar. E eu quero que você entenda alguns dos motivos pelos quais você deveria agradecê-lo por isso:


1- Nossos desejos, na maioria das vezes, são baseados em sentimentos, temporários e enganosos

Esses dias, enquanto eu corria o dedo pela minha timeline, me deparei com um post que perguntava: "E se Deus tivesse atendido todas as suas orações, onde você estaria?".  Imaginei alguma das coisas que pedi na ignorância. Outras, na imaturidade. Outras, no egoísmo. E, caramba, obrigada. 

Obrigada, Deus, porque hoje eu não estou casada com a minha primeira paixão da adolescência, ou com o Zac Efron na época do High School Music. Obrigada, porque o Senhor livrou a pobre da minha professora de matemática da sexta série, em todas as vezes que eu desejei que algo acontecesse no dia da prova e ela não viesse. Obrigada por não me deixar colocar o dedo nas tomadas da vida que eu teimava em querer conhecer. Obrigada por não me dar algo que eu não estava pronta para receber. Deus, obrigada pelas lutas que o Senhor não me privou de viver, porque se não fossem as lições que vieram com elas, hoje, eu seria só mais um rostinho bonito. Deus, obrigada por não permitir que eu me tornasse uma pessoa fria, todas as vezes que sentir demais me machucou, e eu pedi pra que Você me fizesse sentir menos. Deus, obrigada por não me dar o que eu achava que era bom pra mim, porque depois o Senhor me mostrou o que era ainda melhor. Deus, obrigada por me dizer não. 

A questão é que gente acha que sabe o que é melhor pra nós.  Mas achismos são temporários. Achismos são totalmente derivados de emoções. Deus não tem achismos: Deus tem certezas. E as certezas Dele não tem prazo de validade.  

Produzimos nossas petições fundamentadas no que sentimos. Mas, o que sentimos é tão volúvel. 

Ontem mesmo você achava que tinha encontrado o amor da sua vida, mas foi só uma paixão de ônibus. Aos 15 anos você achava que o seu colega de aula seria seu melhor amigo pra todo sempre, e desejaria muitos momentos e viagens pra vocês dois, se pudesse, mas hoje, já nem se falam mais. Se você for pro Monte Everest e passar um dia congelando por lá, tenho certeza que se pudesse fazer um pedido, seria o calor do sol. Mas, aos 40 graus do Nordeste, tudo que você mais quer é uma água de côco gelada. 

Nossos desejos se baseiam em sentimentos, condições e circunstâncias... A vontade de Deus pra nós se baseia em propósitos, amor e convicção. E ela é incondicional. 


2- A coisa certa na hora errada, se torna errada

A gente tem visão limitada. É míope demais. Não sabe enxergar de longe. O olho não alcança a consequência do desejo.  O corpo, carnal, não sabe a hora de agir. 
O Pai tem visão panorâmica. Vê o hoje, o amanhã e o tempo certo que a gente sempre acha que é agora, porque não enxerga além. 

Eu já comprei coisas por um preço absurdo na primeira loja que passei, porque não quis esperar. Alguns passos depois, vi algo melhor pela metade do valor na loja do outro lado, mas eu já não tinha mais dinheiro. Eu já comi um monte de porcarias antes do jantar, até me empanturrar. E depois, me foi servido um banquete, com um cheiro que dava pra sentir até da casa do vizinho, mas eu já não tinha mais fome. 

A gente age como uma criança que pede pro pai um chocolate antes do almoço, e não entende que, se Ele não quer dar, é porque quer que a gente guarde a nossa fome pra algo maior. Li uma frase que dizia: "O tempo errado rouba o encanto do tempo certo." e eu não sei quem escreveu, mas sei que não poderia ter descrito melhor. 

Insistimos tanto pedindo a Deus coisas fora do tempo. E, se Ele não nos dá, muitas vezes, nós mesmos damos o nosso famoso "jeitinho". Quando penso nisso, sempre lembro da história de Sara e Abraão e a clichê "ajudinha" que eles tentaram dar a Deus usando Hagar. (Gn 16)

Resumindo a história pra você que não conhece ou não se lembra: o casal não podia ter filhos, mas, Deus prometeu que lhes daria um, no tempo Dele. Entretanto, Sara se cansou de esperar a promessa se cumprir e quis se meter em prover algo que não cabia a ela, ordenando que seu marido dormisse com a sua serva.  "Como os projetos de Deus estão demorando pra se concretizar em nossas vidas, vamos ajudá-Lo, durma com Hagar, use o que estiver ao seu alcance!" E, depois dessa ideia "genial", a bíblia diz que após Hagar engravidar, Sara passou a se sentir desprezada e a expulsou de casa. 

Ué, mas não foi ela mesma quem teve a ideia? Foi! E esse é o problema. Foi a provisão dela e não a de Deus.

Se você acompanhar o desenrolar dessa história, vai ver que as consequências dessa intromissão perduram até os dias de hoje. E é isso que acontece quando tentamos fazer que algo aconteça no tempo que não é o certo. 

Nos frustramos em relacionamentos errados. Nos doamos. Nos desgastamos. Entregamos de bandeja o nosso melhor pra pessoas erradas, no tempo errado, e somos decepcionados. Aí, quando a pessoa certa chega, junto com o tempo certo, a gente já está machucado e inseguro demais pra se entregar como deveria. Tentamos assumir uma responsabilidade para a qual ainda não estamos prontos, erramos, e depois, quando seria a hora, a gente já se traumatizou e não quer mais. Você entende?

O Cara lá de cima não nos dá tudo que a gente quer, porque Ele nos ama, e assim como um Pai não dá a um filho de 7 anos um canivete, o Nosso Pai também não nos dá coisas que Ele sabe que ainda não sabemos como manusear. Ainda não é tempo. Não estamos prontos. Não vai fazer bem. 

Um filho quando cresce, vai agradecer o pai por não tê-lo deixado colocar o dedo na tomada. E ele queria tanto...

3-  Ganhar tudo que a gente quer, nos torna mimados

A verdadeira felicidade não tem nada a ver com "ter", Deus sabe muito bem disso. E quer que a gente saiba também. A felicidade não vem através de coisas, ela vem através Dele. De quem Ele é, e de quem nós nos tornamos porque Ele é.

Todo pai sabe que ao dar tudo que um filho pede, está colaborando pra sua fragilidade, porque um filho que ganha tudo o que quer, quando não ganha, perde o chão. Perdendo o foco da única coisa que realmente pode lhe fazer feliz e fazendo das coisas uma fonte de alegrias momentâneas para suprir essa falta.

Deus não cria filhos mimados e frágeis. Ele nos instrui a ser fortes e corajosos, e felizes e gratos em todo o tempo, assim como Paulo e o exemplo que ele nos deixa:


[...] Aprendi a adaptar-me a toda e qualquer circunstância. Sei o que é passar necessidade e sei o que é ter fartura. Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome, tendo muito, ou passando necessidade. Tudo posso naquele que me fortalece. (Filipenses 4:11-13)


Nosso Pai sabe a hora de nos mimar, sim,. Mas, Ele também sabe a hora de nos fortalecer. E uma ótima forma de fazer isso, é nos dizendo "não". 


4-  O que a gente quer, nem sempre é o que a gente precisa

Às vezes, nos comportamos como uma criança que, ao invés do brinquedo que esperava, ganha uma roupa no natal. Que chato. "Eu queria mesmo era a Barbie Malibu". Mas aí, o tempo passa e a gente descobre que a gente não veste bonecas, ou carrinhos, ou pecinhas de montar. E que o que a gente precisa, às vezes, a gente não enxerga, porque está distraído demais com o que a gente quer. 

Deus não se distrai. Ele sabe do que precisamos. E isso lhe importa mais do que aquilo que queremos. Uma criança comeria só chocolate e porcarias o dia todo se a deixassem. Mas, os pais, sabem que ela precisa de vitaminas, e alimentos sólidos, que a sustentem, fortifiquem e a façam crescer.

Uma das formas mais eficazes em nos fazer crescer são os desafios. As dificuldades. Quando não temos o que queremos e, então, precisamos aprender a agradecer e fazer algo com o que temos. Quando queríamos tanto que uma pessoa mudasse, para amá-la, mas ela não muda, e então, temos de aprender a amá-la como ela é. Se Deus atendesse todos os nossos desejos, nunca teríamos problemas, e então, nunca saberíamos lidar com eles. Nunca teríamos decepções, então não aprenderíamos a superá-las. As pessoas não nos machucariam, então, não aprenderíamos o dom de perdoar. 

Amar é muito mais atender a necessidades do que a desejos. 


5-  O problema do que que a gente quer, às vezes, é o porquê da gente querer

Você já parou pra pensar no que te leva a querer algo? Às vezes, o simples fato de perceber as nossas reais motivações, nos leva a entender o porquê de Deus não nos atender. 


"Pedis e não recebeis, pois pedis por motivos errados, para gastar em seus prazeres..." (Tiago 4:3)

- Pedi um carro novo e Deus não me deu. 
- Por que você queria?
- Pra fazer inveja pro meu amigo. 

E aí, preciso explicar?


- Pedi um namorado e Deus não me deu.
- Por que você queria?
- Pra me fazer feliz. 

E agora, dá pra entender?


Está aí algo que deveríamos colocar em prática na nossa vida. Antes de desejar qualquer coisa, perguntar a nós mesmo o que nos leva a querê-la. 

Nossos pais fazem isso muito bem. 

Você já pediu dinheiro aos seus pais alguma vez, por exemplo? Tenho certeza que sim. Já percebeu a primeira coisa que lhe é questionada, em todas as vezes que faz isso?  Exatamente: "Pra que você quer?" 

Um pai que ama o filho não lhe dará dinheiro para comprar uma arma para se matar, por exemplo. Deus, é da mesma forma. Ele se importa mais com a intenção do nosso coração do que com qualquer outra coisa. Às vezes, nas intenções, pecamos mais do que nas ações. São pelas intenções que Ele sabe se estamos aptos ou não para receber aquilo que pedimos. 


E, finalmente:

6- Deus não é nosso garçom

Estamos vivendo um cristianismo tão deturpado que nos acostumamos com a ideia de que Deus é quem nos deve algo, e por isso, deve nos servir. 
Quando, na verdade, nós deveríamos entender que se Deus não fizer mais nada por nós, Ele já fez muito mais do que merecíamos. Os servos somos nós. Quem deve a vida a Ele somos nós. Porque Ele já entregou a vida do filho Dele, por nós! 

Deus não nos dá tudo que a gente quer, porque também, tem coisas que cabem a nós fazer. 
A gente tem mania de fazer pedido e ficar sentado esperando Ele entregar. Se paga caro. Filho mimado acha que o pai é escravo. Filho amado, é tão grato, que se dispõe a servir.

Queremos ir pra Itália, mas não tiramos o passaporte. Queremos um marido exemplar, mas somos mulheres tolas. E vice-versa. Queremos notas boas, mas não estudamos. Queremos ganhar dinheiro, mas não trabalhamos. E aí, como é que Deus faz?

Toda obra de Deus na vida do homem, é feita em parceria.

[...] Porquanto nós somos colaboradores de Deus... (1 Coríntios 3:9)


Ele age no impossível, nós, no possível. 

Tem gente que espera ser abençoada, mas nem ora. Tem gente que quer conhecer a Deus, mas só abre a bíblia pra colocar em cima da estante. 

A única coisa que Deus nos deu de graça foi o seu amor incondicional e a salvação, porque nunca poderíamos pagar por ela. Mas, todas as demais coisas, contam com a nossa participação. 

 "Desde os dias de João Batista até agora, o Reino dos céus é tomado à força, e os que usam de força se apoderam dele." (Mateus 11:12)

Você pode ser salvo, mas nunca viver o Reino de Deus na Terra, porque não faz a sua parte. Você pode ter lindos sonhos de Deus te aguardando, mas nunca vivê-los, porque não faz a sua parte. 

O cara lá de cima nos ama mais do que tudo, e anseia um relacionamento conosco. Mas também, nunca desfrutaremos disso, se não fizermos o que nos cabe. 

Ele bate, a gente abre. Ele serve, a gente come. E é assim que se constrói. 

Relacionamento com Deus é self-service. O banquete está posto. Depende da nossa fome. 

Porque - graças a Ele - nem tudo que eu quiser, o "Cara lá de cima" vai me dar. Mas, sim, tudo que eu fizer, eu vou tentar melhor do que eu já fiz. 

De quem é grata por todos os desejos não realizados,

Ghiovana Christini. 








Talvez Você Goste Também

0 comentários

Posts Populares

Contato