#comamorgc fatos reais

Sobre Lordoses

06:35Ghiovana Christini




Eu sumi, eu sei. Eu não escrevi mais sobre amor, nem sobre a gatinha que eu adotei. Eu deixei o celular no modo avião por dias e, até, troquei de celular. Eu entrei em férias da faculdade e consegui passar até naquela matéria que falava sobre perempção. Tirei minha carteira de habilitação e meu cabelo cresceu e tá meio ruivo, meio loiro, meio doido.

Eu fiz um raio-x no mês passado por causa de uma dor chata que me incomoda o tempo todo. Tem dias que não consigo nem segurar o peso da minha cabeça. A nuca dói. Não aguenta. Tenho que pegar uns dois travesseiros e deitar até passar.

Peguei o exame segunda-feira: Inversão da lordose cervical. Já era.

"[...] A lordose é um transtorno devido a uma curvatura excessiva da coluna para dentro. Geralmente, resulta em um pescoço reto, o que causa diminuição de mobilidade da coluna..." 

No meu caso, a situação avançou um pouco mais. Meu pescoço não apenas está reto, mas, invertido. A curvatura natural do pescoço, que já não havia por causa da retificação, foi para o lado contrário.

Eu sempre fui meio do lado avesso. Não tem cura - nem a inversão da lordose, nem eu - mas, como sempre, eu tirei uma lição bonita.

É que eu descobri que olhar muito pra baixo, adoece também. E é uma das recomendações pro meu tratamento: "Não olhe para baixo, Ghiovana." E eu entendi que, talvez, olhar pra baixo me adoece porque eu fui feita pra olhar pra cima.

Tem gente com lordose na alma porque já não consegue mais erguer a cabeça. Tem gente que dói porque vive com a postura errada. Principalmente, do lado de dentro. Eu já andei muito corcunda por aí. Eu já me atrofiei por dentro quando esqueci de quem eu era e baixei o espírito. Mas Deus tem me ensinado que, por mais torta que eu seja por fora, o que importa é que eu tenha sempre uma postura ereta, aqui dentro. Não onde o espelho demonstra. Não onde o raio-x alcança. Mas lá no fundo, onde só Ele vê.

Às vezes a cabeça pesa do lado de dentro também e dá vontade de largar tudo. Descer do salto, deitar e doer um pouco até passar. Às vezes eu largo a caneta, às vezes a rima não sai. Porque a gente sempre é, mas nem sempre está.

Fiz umas novas amizades e estava falando com um desses amigos, dia desses. Ele é mais experiente, sábio e, vez em quando, me dá uns choques de realidade. A gente só se fala pela internet e não se conhece direito, mas, terça feira, ele inventou de fazer uma análise de mim.

"Às vezes te acho muito poética em tudo que fala. E, às vezes, muito brincalhona. Às vezes me passa uma imagem de uma menina sonhadora que fantasia muita coisa. Mas, não consigo enxergar o que realmente pretende fazer. Quando converso com você, às vezes parece confusa quanto algumas decisões. Sei que é uma escritora. E, isso, é o mais claro. Do resto, são sonhos...

E não é que ele tem razão?

Eu não sei de muita coisa. Mas, de uma, eu tenho certeza: Eu sou uma escritora.
E, o resto, eu continuo poetizando, até que tudo que é sonho hoje, seja realidade.

Eu posso ter a maior lordose aos olhos do mundo e da radiologia. Mas, aqui dentro, eu tenho aprendido a olhar pra cima. E quanto mais eu olho pra Ele, mais Ele me endireita. E quanto mais torta eu pareço, mais eu descubro e escrevo, só pra afirmar que não esqueço: Eu não nasci pra ser padrão, o meu amor vem do avesso.


Com amor, da escritora feita de sonhos,

Talvez Você Goste Também

1 comentários

  1. "Tem gente com lordose na alma porque já não consegue mais erguer a cabeça." Por muitas vezes me senti assim, com lordose na alma, o espirito carecia de um pouco mais de incentivo da minha parte, um pouco mais de fé. Hoje a lordose não está completamente curada, mas estou providenciando um tratamento intensivo!
    Parabéns Ghio, o texto ficou perfeito (como sempre) ♥
    Beijos e sucesso moça!

    ResponderExcluir

Posts Populares

Contato